Diferenças de Gênero Impactam nossas Finanças

O tema "dinheiro" não é colocado em foco para as mulheres
Em um estudo do ano 2018, a empresa “Age Wave”, dos Estados Unidos, analisou, junto a um banco
americano, a relação das mulheres no país com o tema “dinheiro”. Eles observaram diversos fatos que merecem atenção e indicam uma grande demanda por meios e soluções para uma equidade de gênero, especialmente em Finanças.
Veículos de comunicação para o público feminino não tratam do tema “dinheiro”: Das 1.594 páginas de conteúdo editorial nas edições de março de 2018 das 17 principais revistas femininas, havia apenas 5 páginas cobrindo finanças pessoais. Isso é menos de 1% do total. Veículos de comunicação para o público feminino não tratam do tema “dinheiro” Das 1.594 soluções do mercado voltadas para homens: 70% das mulheres pesquisadas relataram que o setor de serviços financeiros atende tradicionalmente aos homens. Os modelos de planejamento de riqueza adotaram como padrão os salários, planos de carreira, papéis familiares, expectativa de vida e preferências, especificamente do gênero masculino. Como exemplo disso: calculadoras de aposentadoria não permitem pausas planejadas ou não planejadas da força de trabalho, excluindo, em relação às mulheres, a gravidez.
Diferenças importantes entre gêneros de investidores
Desempenho: Ao contrário dos homens, as mulheres consideram a realização de seus objetivos pessoais mais importante do que o desempenho do investimento. As mulheres têm mais probabilidade em relação aos homens de alternar entre os provedores de gestão de patrimônio e o fazem por diferentes razões.
Experiência: as mulheres têm preferências distintas em muitas áreas da experiência do cliente. Isso inclui mais ênfase na segurança, precisão e privacidade, maior valorização das interações humanas de alta qualidade, mais abertura para a tecnologia digital e uma maior disposição para compartilhar suas experiências online.
Confiança: as mulheres veem a transparência e a clareza como fatores particularmente importantes de confiança. Elas também valorizam mais a defesa de direitos ou referências de familiares e amigos do que os homens.
Primeiro o fato mais importante: a diferença (gap) financeira entre os gêneros está diminuindo! Isso é um item a ser comemorado. O mundo está evoluindo e percebe-se que, cada vez mais, empresas e atores do Estado entendem a importância da equidade. Mas, podemos encostar e relaxar? Julgue você mesma a partir dos seguintes dados: - 2277 é o ano em que a diferença financeira das mulheres será finalmente eliminada, ou seja, ainda temos 257 anos de luta pela frente; - A taxa de redução da diferença econômica está diminuindo! No último cálculo, esperava-se que o gap fechasse em apenas 202 anos; - As mulheres estão acumulando ativos financeiros 1,5 vezes mais rápido do que os homens. Em 2025, elas poderiam deter US$ 110 trilhões em ativos financeiros, 3,3 vezes os níveis alcançados em 2010, no entanto, elas ainda gerenciam apenas 1-3,5% de todo o dinheiro no mundo; - No Reino Unido, considerado um país razoavelmente “moderno”, tem menos mulheres administrando fundos do que homens com os nomes "Dave" ou "David"; - US$ 12-28 trilhões poderiam ser adicionados ao PIB global até 2025 com o avanço da igualdade das mulheres. Na extremidade superior, é o PIB dos EUA + China combinados; - Só na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a igualdade de gênero poderia aumentar o PIB em US$ 6 trilhões (ou em 10%); - As taxas de participação na força de trabalho estagnaram em 55% para as mulheres. No entanto, apenas 22% dos profissionais de Inteligência Artificial são mulheres; - A participação feminina na indústria de tecnologia é de 20%, menos da metade da taxa geral; - São apenas 8 países onde há igualdade de gênero no mercado de trabalho, com políticas para inclusão econômica e legislações para garantir a paridade salarial entre homens e mulheres. Dentre eles: Bélgica, Dinamarca, França, Letônia, Luxemburgo e Suécia; - Mulheres na África rural passam 40 bilhões de horas por ano coletando água; - A penalidade da maternidade: nos 12 anos após ter seu primeiro filho, a taxa de remuneração por hora de uma mulher cai continuamente para 33%, menos que os homens; - Mulheres da geração Y ainda fazem o dobro do trabalho doméstico do que os homens da mesma geração; - As mulheres devem herdar dois terços da transferência de grande riqueza projetada de aproximadamente US$ 30 trilhões nos próximos 40 anos;
Falta de Confiança, de Tempo ou Vontade?
Falta de Confiança para investir?

Apesar dos inúmeros sinais que apontam para a força das mulheres investidoras, observa-se que uma grande parte das delas não tem confiança quando se trata do mercado de ações. De acordo com uma pesquisa recente da Boring Money (um site inglês sobre investimentos), apenas 23% das mulheres possuem algum tipo de produto de investimento, em comparação a 35% dos homens. Enquanto isso, a proporção de clientes do sexo masculino para o feminino nas 10 principais plataformas de investimento é de mais de dois terços para os homens. Muitas mulheres citam a falta de confiança, a incerteza e a aversão ao risco como os principais fatores que as levam a evitar o mercado de ações. O site "moxiefuture.com", em um estudo em 2018, chegou a entender a falta de confiança como um fator importante: 43% das entrevistadas em 5 países apontaram o problema. Além disso, embora muitas mulheres estejam abertas à perspectiva de usar um consultor financeiro para orientá-las e educá-las, a maioria dos gestores de fortunas admite ter uma base de clientes dominada por homens. A falta de diversidade dentro dessas empresas é um obstáculo para atrair uma base de investidores mais equilibrada, dada a natureza altamente pessoal da relação cliente-consultor. As mulheres querem se sentir representadas e compreendidas nas empresas de investimento.
O “Gap” de gênero é um assunto complexo

Historicamente e ainda hoje, as cartas não são distribuidas a favor das mulheres. Para começar, a disparidade salarial continua sendo um obstáculo obstinado. Em 2018, as mulheres ganhavam 85% do que os homens ganhavam, de acordo com uma análise do Pew Research Center nos EUA.
Esta observação pode ser feita na mesma indústria / setor, mas fica ainda mais agravado quando se observa que as mulheres tendem a trabalhar em setores que pagam categorigamente menos que outros setores - por exemplo tem uma grande proporção de mulheres em atividades de cuidados pessoais como enfermaria, e também salões de beleza.
Dessa forma, comparado com a média dos homens, sobra menos dinheiro para poupar e investir. Para complicar as coisas, as interrupções na carreira que muitas mulheres fazem para cuidar da família dão a elas menos anos para financiar um plano de aposentadoria. As interrupções na carreira também fazem com que as mulheres percam aumentos potenciais e podem reduzir o quanto elas receberão do Seguro Social. Quando você ganha menos, tem menos para economizar - e a tendência natural é guardá-lo escolhendo investimentos mais conservadores. No longo prazo, esses investimentos tendem a ter um potencial de crescimento menor. Como resultado, as mulheres - que têm uma vida mais longa para esperar e financiar - podem acabar com os ovos de ninho menores e se arrependem profundamente de não ter investido mais. A independência financeira é um objetivo que vale a pena perseguir. Ela abre portas para que as mulheres possam alcançar todas as suas aspirações, como profissionais, como empresárias, como influenciadoras de políticas, como mulheres solteiras, como mães, como parceiras e esposas.
Diferenças de Gênero Impactam nossas Finanças
61% das mulheres preferem falar da sua própria morte de que sobre dinheiro

Em um estudo do ano 2018, a empresa “Age Wave” dos Estados Unidos analisou junto com um banco americano a relação das mulheres no país com o tema “dinheiro”.
Eles observaram diversos fatos que merecem atenção e indicam uma grande demanda por meios e soluções para uma equidade de gênero, especialmente em Finanças:
Veículos de comunicação para o público feminino não tratam do tema “dinheiro”: Das 1.594 páginas de conteúdo editorial nas edições de março de 2018 das 17 principais revistas femininas, havia apenas 5 páginas cobrindo finanças pessoais. Isso é menos de 1%. Soluções do mercado voltadas para homens: Setenta por cento das mulheres pesquisadas relataram que o setor de serviços financeiros tradicionalmente atende aos homens. Os modelos de planejamento de riqueza adotaram como padrão os salários dos homens, planos de carreira, papéis familiares, expectativa de vida e preferências. Apenas um exemplo: calculadoras de aposentadoria não permitem pausas planejadas ou não planejadas da força de trabalho.
O “gap” financeiro dos Gêneros

Primeiro o fato mais importante: a diferença (gap) financeira entre os gêneros está fechando! Isso é um item a ser comemorado. O mundo está evoluindo e percebe-se que cada vez mais empresas e atores do Estado entendem a importância da equidade. Mas, podemos encostar e relaxar? Julge Você mesma a partir dos seguintes dados: - 2277 é o ano em que a diferença financeira das mulheres será finalmente eliminada, ou seja, ainda temos 257 anos pela frente; - A taxa de redução da diferença econômica está diminuindo! Na última vez esperava-se que o gap fechasse em apenas 202 anos; - As mulheres estão acumulando ativos financeiros 1,5 vez mais rápido do que os homens. Em 2025, eles poderiam deter US $ 110 trilhões em ativos financeiros, 3,3x níveis de 2010 ... ... no entanto, eles ainda gerenciam apenas 1-3,5% de todo o dinheiro no mundo; - No Reino Unido, considerado um país razoavelmente “moderno”, tem menos mulheres administrando fundos do que homens com os nomes "Dave" ou "David"; - US $ 12-28 trilhões poderiam ser adicionados ao PIB global até 2025 com o avanço da igualdade das mulheres. Na extremidade superior, é o PIB dos EUA + China combinados; - Só na OCDE, a igualdade de gênero poderia aumentar o PIB em US $ 6 trilhões (ou em 10%); - As taxas de participação na força de trabalho estagnaram em 55% para as mulheres…. … .Mas apenas 22% dos profissionais de Inteligência Artificial são mulheres; - A participação feminina na indústria de tecnologia é de 20%, menos da metade da taxa geral; - Apenas 8 países deram a homens e mulheres direitos legais iguais de trabalho; - Mulheres na África rural passam 40 bilhões de horas por ano coletando água; - A penalidade da maternidade: nos 12 anos após ter seu primeiro filho, a taxa de remuneração por hora de uma mulher cai continuamente para 33%, atrás de um homem; - Mulheres da geração Y ainda fazem o dobro do trabalho doméstico do que os homens da geração Y; - As mulheres devem herdar dois terços da transferência de grande riqueza projetada de ~ US $ 30 trilhões nos próximos 40 anos;
Diferenças importantes entre gêneros de investidores

Desempenho: Ao contrário dos homens, as mulheres consideram a realização de seus objetivos pessoais mais importante do que o desempenho do investimento. As mulheres têm mais probabilidade do que os homens de alternar entre os provedores de gestão de patrimônio e o fazem por diferentes razões.
Experiência: as mulheres têm preferências distintas em muitas áreas da experiência do cliente. Isso inclui mais ênfase na segurança, precisão e privacidade; maior valorização das interações humanas de alta qualidade; mais abertura para a tecnologia digital; e uma maior disposição para compartilhar suas experiências online.
Confiança: as mulheres veem a transparência e a clareza como fatores particularmente importantes de confiança. Eles também valorizam mais a defesa de direitos ou referências de familiares e amigos do que os homens.
Falta de Confiança para investir?

Apesar dos inúmeros sinais que apontam para a força das mulheres investidoras, observa-se que uma grande parte das mulheres não tem confiança quando se trata do mercado de ações. De acordo com uma pesquisa recente da Boring Money (um site inglês sobre investimentos) , apenas 23% das mulheres possuem algum tipo de produto de investimento, em comparação com 35% dos homens. Enquanto isso, a proporção de clientes do sexo masculino para feminino nas 10 principais plataformas de investimento é de mais de dois terços do sexo masculino.
Muitas mulheres citam a falta de confiança, incerteza e aversão ao risco como os principais fatores que as levam a evitar o mercado de ações.
O site moxiefuture.com, num estudo em 2018 chegou a entender a falta de confiança como um fator importante: 43% das entrevistadas em 5 paises apontaram o problema. Além disso, embora muitos estejam abertos à perspectiva de usar um consultor financeiro para orientá-los e educá-los, a maioria dos gestores de fortunas admite ter uma base de clientes dominada por homens. A falta de diversidade dentro dessas empresas é um obstáculo para atrair uma base de investidores mais equilibrada, dada a natureza altamente pessoal da relação cliente-consultor. As mulheres querem se sentir representadas e compreendidas nas empresas de investimento.
O “Gap” de gênero é um assunto complexo

Historicamente e ainda hoje, as cartas não são distribuidas a favor das mulheres. Para começar, a disparidade salarial continua sendo um obstáculo obstinado. Em 2018, as mulheres ganhavam 85% do que os homens ganhavam, de acordo com uma análise do Pew Research Center nos EUA.
Esta observação pode ser feita na mesma indústria / setor, mas fica ainda mais agravado quando se observa que as mulheres tendem a trabalhar em setores que pagam categorigamente menos que outros setores - por exemplo tem uma grande proporção de mulheres em atividades de cuidados pessoais como enfermaria, e também salões de beleza.
Dessa forma, comparado com a média dos homens, sobra menos dinheiro para poupar e investir. Para complicar as coisas, as interrupções na carreira que muitas mulheres fazem para cuidar da família dão a elas menos anos para financiar um plano de aposentadoria. As interrupções na carreira também fazem com que as mulheres percam aumentos potenciais e podem reduzir o quanto elas receberão do Seguro Social. Quando você ganha menos, tem menos para economizar - e a tendência natural é guardá-lo escolhendo investimentos mais conservadores. No longo prazo, esses investimentos tendem a ter um potencial de crescimento menor. Como resultado, as mulheres - que têm uma vida mais longa para esperar e financiar - podem acabar com os ovos de ninho menores e se arrependem profundamente de não ter investido mais. A independência financeira é um objetivo que vale a pena perseguir. Ela abre portas para que as mulheres possam alcançar todas as suas aspirações, como profissionais, como empresárias, como influenciadoras de políticas, como mulheres solteiras, como mães, como parceiras e esposas.